Não devemos esquecer nada de tudo
quanto se passou, inclusive os nossos erros,
para uma purificação permanente da Memória.
Razão por que na Igreja somos visitadores assíduos
dos Livros bíblicos que nos tratam e nos curam amnésias.

Mas do Passado nos há de interessar, mais que
tudo, quanto pertence ao Futuro, o futuro da Vida,
para onde vamos, peregrinos de Amanhã, nos passos
da Páscoa de Cristo que venceu a última fronteira que
nos detinha entre as Servidões que deixámos para trás
e a Terra da Promessa que nos pôs a caminho…

A Fé, profissão de Fé,
e a Esperança, ciência da Esperança,
alimentam-se permanentemente
da memória da Vida que venceu a Morte,
a última fronteira vencida e ultrapassada
pela Páscoa de Cristo, êxito, êxodo da Vida,
realização plena, absoluta, final e sem retorno,
das promessas todas do Amor que nos criou
e nos salvou, história da Criação e história
da Salvação nesta Vigília Pascal em leituras
sempre a fazer, nunca leituras feitas, cansadas…

Princípio e fim da Criação,
o Cristo Jesus, o Alfa e o Ómega
em ponto-de-Partida e ponto-de-Chegada
pessoal, comunitário, universal.


Leonel Oliveira
Introdução à celebração da Vigília Pascal | 2000

Fotografia: Inês d’Orey